Frases de Bertrand Russell


Pesquisando Bertrand Russell

Encontradas 12 ocorrências do total de 5,836 frases.
Mostrando de 1 até 12. (Página 1)

 001  Temer o amor é temer a vida e os que temem a vida já estão meio mortos.

 002  Por que repetir erros antigos se há tantos erros novos a escolher ?

 003  A religião cristã sempre foi e ainda é a principal inimiga do progresso moral da humanidade.

 004  O tempo que você gosta de perder não é tempo perdido.

 005  A maioria das pessoas preferiria morrer à pensar - de fato, muitas o fazem.

 006  Muitos homem cometem o erro de substituir o conhecimento pela afirmação de que é verdade aquilo que desejam.

 007  A educação, no sentido em que a entendo, pode ser definida como a formação, por meio da instrução, de certos hábitos mentais e de certa perspectiva em relação à vida e ao mundo. Resta indagar de nós mesmos, que hábitos mentais e que gênero de perspectiva pode-se esperar como resultado da instrução? Um vez respondida essa questão, podemos tentar decidir com o que a ciência pode contribuir para a formação dos hábitos e da perspectiva que desejamos.

 008  A ciência, para o leitor comum de jornais, é representada por uma seleção variável de triunfos sensacionais, tais como a radiotelegrafia, os aviões, a radioatividade e as maravilhas da moderna alquimia. Não é desse aspecto da ciência que desejo falar. Nesse aspecto, a ciência consiste de fragmentos modernos isolados, que só interessam enquanto não são substituídos por algo mais novo e ainda mais moderno, nada exibindo dos sistemas de conhecimento pacientemente construídos, a partir dos quais, quase que por incidente causal, chegamos a resultados praticamente úteis que interessam ao homem comum.

 009  A vida do homem, vista de fora, é pequena em comparação com as forças da Natureza. O escravo é condenado a adorar o Tempo, o Destino e a Morte, porque são maiores que tudo que ele encontra em si mesmo, e porque todos seus pensamentos são de coisas que essas forças devoram. Mas por maiores que sejam, pensar muito nelas, sentir seu esplendor desapaixonado é maior ainda. E esse pensamento nos torna livres; não mais nos curvamos ante o inevitável segundo a forma oriental, mas o absorvemos, e o tornamos parte de nós mesmos. Abandonar a luta pela felicidade particular, expulsar toda a avidez de desejo passageiro, arder de paixão pelas coisas eternas - isto é a emancipação, e é a adoração do homem livre. E essa liberação é realizada pela contemplação do Destino; pois o próprio Destino é subjugado pela mente que nada deixa para ser purgado pelo fogo purificador do Tempo.

 010  Até a lógica ter alcançado seu atual desenvolvimento, sempre se imaginou que fossem filosóficos os princípios dos quais depende a matemática, e descobríveis somente através dos métodos incertos e não progressivos até hoje empregados pelos filósofos. Enquanto assim se pensou, a matemática não parecia autônoma, mas dependente de um estudo que possui outros métodos além dos dela. Ademais, já que a natureza dos postulados de que devem ser deduzidas a aritmética, a análise e a geometria se envolvia em todas as tradicionais obscuridades da discussão metafísica, o edifício erigido sobre tais fundamentos dúbios começou a ser considerado uma espécie de castelo no ar.

 011  É muito desejável, no ensino, não apenas persuadir o estudante da exatidão dos teoremas importantes, mas persuadí-lo do modo que, dentre todos, tenha maior beleza. O verdadeiro interesse de uma demonstração não se concentra totalmente no resultado como sugerem os modos tradicionais de exposição; onde isso ocorrer, deve ser considerado defeito a ser remediado, se possível, generalizando de tal modo os passos da prova que cada um adquira importância própria. Um argumento que só serve para provar uma conclusão é como uma estória subordinada à moral que pretende ensinar: para a perfeição estética, nenhuma parte do todo deve ser apenas um meio.

 012  De todas as características que são vulgares na natureza humana a inveja é a mais desgraçada; o invejoso não só deseja provocar o infortúnio e o provoca sempre que o pode fazer impunemente, como também se torna infeliz por causa da sua inveja.

1999-2019 Ponteiro® - Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo desta e de outras páginas deste portal.     Os dados contidos nesta página são meramente informativos, podendo, os mesmos, sofrerem alterações sem qualquer aviso prévio.   Apesar de nosso zelo na coleta e manuseio dos textos, imagens e eventos, o Ponteiro não se responsabiliza por eventuais imprecisões ou publicação acidental de dados incorretos.
Nossa política de privacidade: não coletamos, rastreamos ou compartilhamos qualquer informação pessoal sua. Conteúdo isento de pornografia e outras bobagens, navegue sossegado e sem sustos :)
Hospedagem by Multihost Made in Brazil Seu IP : 34.229.126.29