Pesquisando categoria 74 - Documentos religiosos
Encontradas 1.151 ocorrências (0.0990546 %) Total de eventos  
Mostrando de 1117 até 1151 ( Página 32 )Total de lançamentos  



AstrologiaLua Cheia (Clique para ver +) Tempo ecorrido : 15 ano(s) 11 mes(es) 27 dia(s) 12/12 Pesquise 12 de Dezembro /2003 Pesquise o ano de 2003 Documentos religiosos   Religião   Vaticano   Constituição Apostólica Bauchiana - Papa João Paulo II + 758 eventos de Papa João Paulo II
AstrologiaLua Minguante (Clique para ver +) Tempo ecorrido : 15 ano(s) 11 mes(es) 20 dia(s) 19/12 Pesquise 19 de Dezembro /2003 Pesquise o ano de 2003 Documentos religiosos   Religião   Vaticano   Constituição Apostólica Timikaënsis - Papa João Paulo II + 758 eventos de Papa João Paulo II
AstrologiaLua Crescente (Clique para ver +) Tempo ecorrido : 15 ano(s) 11 mes(es) 6 dia(s) 03/01 Pesquise 03 de Janeiro /2004 Pesquise o ano de 2004 Documentos religiosos   Religião   Vaticano   Constituição Apostólica Irapuatensis - Papa João Paulo II + 758 eventos de Papa João Paulo II
AstrologiaLua Nova (Clique para ver +) Tempo ecorrido : 15 ano(s) 9 mes(es) 15 dia(s) 24/02 Pesquise 24 de Fevereiro /2004 Pesquise o ano de 2004 Documentos religiosos   Religião   Vaticano   Constituição Apostólica Bydgostiensis - Papa João Paulo II + 758 eventos de Papa João Paulo II
AstrologiaLua Nova (Clique para ver +) Tempo ecorrido : 15 ano(s) 9 mes(es) 15 dia(s) 24/02 Pesquise 24 de Fevereiro /2004 Pesquise o ano de 2004 Documentos religiosos   Religião   Vaticano   Constituição Apostólica Lodziensis - Papa João Paulo II + 758 eventos de Papa João Paulo II
AstrologiaLua Nova (Clique para ver +) Tempo ecorrido : 15 ano(s) 9 mes(es) 15 dia(s) 24/02 Pesquise 24 de Fevereiro /2004 Pesquise o ano de 2004 Documentos religiosos   Religião   Vaticano   Constituição Apostólica Raipurensis - Papa João Paulo II + 758 eventos de Papa João Paulo II
AstrologiaLua Cheia (Clique para ver +) Tempo ecorrido : 15 ano(s) 6 mes(es) 6 dia(s) 03/06 Pesquise 03 de Junho /2004 Pesquise o ano de 2004 Documentos religiosos   Religião   Vaticano   Constituição Apostólica Trivandrensis Latinorum - Papa João Paulo II + 758 eventos de Papa João Paulo II
AstrologiaLua Minguante (Clique para ver +) Tempo ecorrido : 15 ano(s) 5 mes(es) 24 dia(s) 15/06 Pesquise 15 de Junho /2004 Pesquise o ano de 2004 Documentos religiosos   Religião   Vaticano   Constituição Apostólica Terrassensis - Papa João Paulo II + 758 eventos de Papa João Paulo II
AstrologiaLua Minguante (Clique para ver +) Tempo ecorrido : 15 ano(s) 5 mes(es) 24 dia(s) 15/06 Pesquise 15 de Junho /2004 Pesquise o ano de 2004 Documentos religiosos   Religião   Vaticano   Constituição Apostólica Barcinonensem - Papa João Paulo II + 758 eventos de Papa João Paulo II
AstrologiaLua Minguante (Clique para ver +) Tempo ecorrido : 15 ano(s) 5 mes(es) 24 dia(s) 15/06 Pesquise 15 de Junho /2004 Pesquise o ano de 2004 Documentos religiosos   Religião   Vaticano   Constituição Apostólica Sancti Felicis de Llobregat - Papa João Paulo II + 758 eventos de Papa João Paulo II
AstrologiaLua Nova (Clique para ver +) Tempo ecorrido : 15 ano(s) 5 mes(es) 15 dia(s) 24/06 Pesquise 24 de Junho /2004 Pesquise o ano de 2004 Documentos religiosos   Religião   Vaticano   Constituição Apostólica Uijongbuensis - Papa João Paulo II + 758 eventos de Papa João Paulo II
AstrologiaLua Cheia (Clique para ver +) Tempo ecorrido : 15 ano(s) 5 mes(es) 6 dia(s) 03/07 Pesquise 03 de Julho /2004 Pesquise o ano de 2004 Documentos religiosos   Religião   Vaticano   Constituição Apostólica Villavicentiensis - Papa João Paulo II + 758 eventos de Papa João Paulo II
AstrologiaLua Minguante (Clique para ver +) Tempo ecorrido : 15 ano(s) 4 mes(es) 29 dia(s) 10/07 Pesquise 10 de Julho /2004 Pesquise o ano de 2004 Documentos religiosos   Religião   Vaticano   Constituição Apostólica Baghiopolitana - Papa João Paulo II + 758 eventos de Papa João Paulo II
AstrologiaLua Minguante (Clique para ver +) Tempo ecorrido : 15 ano(s) 2 mes(es) 2 dia(s) 07/10 Pesquise 07 de Outubro /2004 Pesquise o ano de 2004 Documentos religiosos   Religião   Vaticano   Carta Apostólica 'Mane Nobiscum Domine'
AstrologiaLua Crescente (Clique para ver +) Tempo ecorrido : 15 ano(s) 1 mes(es) 19 dia(s) 20/10 Pesquise 20 de Outubro /2004 Pesquise o ano de 2004 Documentos religiosos   Religião   Vaticano   Constituição Apostólica Bruneiensis - Papa João Paulo II + 758 eventos de Papa João Paulo II
AstrologiaLua Crescente (Clique para ver +) Tempo ecorrido : 15 ano(s) 19 dia(s) 20/11 Pesquise 20 de Novembro /2004 Pesquise o ano de 2004 Documentos religiosos   Religião   Vaticano   Constituição Apostólica Doriensis - Papa João Paulo II + 758 eventos de Papa João Paulo II
AstrologiaLua Crescente (Clique para ver +) Tempo ecorrido : 14 ano(s) 11 mes(es) 21 dia(s) 18/12 Pesquise 18 de Dezembro /2004 Pesquise o ano de 2004 Documentos religiosos   Religião   Vaticano   Constituição Apostólica Alindaoënsis - Papa João Paulo II + 758 eventos de Papa João Paulo II
AstrologiaLua Cheia (Clique para ver +) Tempo ecorrido : 14 ano(s) 11 mes(es) 10 dia(s) 29/12 Pesquise 29 de Dezembro /2004 Pesquise o ano de 2004 Documentos religiosos   Religião   Vaticano   Constituição Apostólica Galvestoniensis-Houstoniensis - Papa João Paulo II + 758 eventos de Papa João Paulo II
AstrologiaLua Cheia (Clique para ver +) Tempo ecorrido : 14 ano(s) 11 mes(es) 10 dia(s) 29/12 Pesquise 29 de Dezembro /2004 Pesquise o ano de 2004 Documentos religiosos   Religião   Vaticano   Constituição Apostólica Castagnalensis de Pará - Papa João Paulo II + 758 eventos de Papa João Paulo II
AstrologiaLua Cheia (Clique para ver +) Tempo ecorrido : 14 ano(s) 10 mes(es) 14 dia(s) 25/01 Pesquise 25 de Janeiro /2005 Pesquise o ano de 2005 Documentos religiosos   Religião   Vaticano   Constituição Apostólica Tiranensis-Dyrracena - Papa João Paulo II + 758 eventos de Papa João Paulo II
AstrologiaLua Nova (Clique para ver +) Tempo ecorrido : 14 ano(s) 9 mes(es) 28 dia(s) 11/02 Pesquise 11 de Fevereiro /2005 Pesquise o ano de 2005 Documentos religiosos   Religião   Vaticano   Nota sobre o Ministro do Sacramento da Unção dos Enfermos
AstrologiaLua Cheia (Clique para ver +) Tempo ecorrido : 14 ano(s) 8 mes(es) 8 dia(s) 01/04 Pesquise 01 de Abril /2005 Pesquise o ano de 2005 Documentos religiosos   Religião   Vaticano   Constituição Apostólica Usbekistaniae - Papa João Paulo II + 758 eventos de Papa João Paulo II
AstrologiaLua Cheia (Clique para ver +) Tempo ecorrido : 13 ano(s) 10 mes(es) 21 dia(s) 18/01 Pesquise 18 de Janeiro /2006 Pesquise o ano de 2006 Documentos religiosos   Religião   Vaticano   Papa Bento XVI anuncia sua primeira encíclica (Deus caritas est)
AstrologiaLua Minguante (Clique para ver +) Tempo ecorrido : 13 ano(s) 10 mes(es) 14 dia(s) 25/01 Pesquise 25 de Janeiro /2006 Pesquise o ano de 2006 Documentos religiosos   Religião   Vaticano   Divulgada a 1ª encíclica (Deus caristas est) do Papa Bento XVI + 303 eventos de Papa Bento XVI (Joseph Ratzinger) + 303 eventos de Papa Bento XVI (Joseph Ratzinger)
AstrologiaLua Crescente (Clique para ver +) Tempo ecorrido : 13 ano(s) 6 mes(es) 6 dia(s) 03/06 Pesquise 03 de Junho /2006 Pesquise o ano de 2006 Documentos religiosos   Religião   Vaticano   Homilia na Vigília de Pentecostes (Papa Bento XVI) + 303 eventos de Papa Bento XVI (Joseph Ratzinger) + 303 eventos de Papa Bento XVI (Joseph Ratzinger)
 "Amados irmãos e irmãs

Viestes verdadeiramente em grande número esta tarde à Praça de São Pedro, para participar na Vigília de Pentecostes. Agradeço-vos de coração! Pertencentes a diversos povos e culturas, vós representais aqui todos os membros dos Movimentos eclesiais e das novas Comunidades, espiritualmente reunidos em redor do Sucessor de Pedro para proclamar a alegria de crer em Jesus Cristo, e renovar o compromisso de lhe serdes discípulos fiéis neste nosso tempo. Agradeço-vos a vossa participação e dirijo a cada um de vós a minha cordial saudação. Transmito o meu pensamento carinhoso em primeiro lugar aos Senhores Cardeais, aos venerados Irmãos no episcopado e no sacerdócio, aos religiosos e às religiosas. Saúdo os responsáveis das vossas numerosas realidades eclesiais, que mostram como é viva a ação do Espírito Santo no Povo de Deus. Saúdo as pessoas que prepararam este acontecimento extraordinário e, em particular, quantos trabalham no Pontifício Conselho para os Leigos, juntamente com o Secretário D. Josef Clemens, e o Presidente, D. Stanislaw Rylko, a quem agradeço também as cordiais expressões que me dirigiu no início da Liturgia das Vésperas. Volta com emoção à nossa memória o encontro análogo que teve lugar nesta mesma Praça, no dia 30 de Maio de 1998, com o amado Papa João Paulo II. Grande evangelizador da nossa época, ele acompanhou-vos e orientou-vos durante todo o seu Pontificado; várias vezes definiu "providenciais" as vossas Associações e Comunidades, sobretudo porque o Espírito santificador se serve delas para despertar a fé nos corações de numerosos cristãos e para fazer com que eles redescubram a vocação recebida mediante o Batismo, ajudando-os a serem testemunhas de esperança, repletas daquele fogo de amor que é precisamente o dom do Espírito Santo.
Agora, nesta Vigília de Pentecostes, nós perguntamo-nos: quem ou o que é o Espírito Santo? Como podemos reconhecê-lo? De que modo vamos a Ele e Ele vem a nós? O que realiza? Uma primeira resposta recebêmo-la do grande hino pentecostal da Igreja, com o qual começamos as Vésperas: 'Veni, Creator Spiritus... Vem, Espírito Criador...'. Aqui, o hino refere-se aos primeiros versículos da Bíblia que, com o recurso a imagens, exprimem a criação do universo. Ali afirma-se sobretudo que acima do caos, sobre as águas do abismo, pairava o Espírito de Deus. O mundo em que vivemos é obra do Espírito Criador. O Pentecostes não é apenas a origem da Igreja e por isso, de modo especial, a sua festa; o Pentecostes é também uma festa da criação. O mundo não existe por si mesmo; provém do Espírito criativo de Deus, da Palavra criadora de Deus. E por este motivo reflete inclusive a sabedoria de Deus. Na sua vastidão e na lógica omnicompreensiva das suas leis, ela deixa entrever algo do Espírito Criador de Deus. Exorta-nos ao temor reverencial.
Precisamente quem, como cristão, crê no Espírito Criador, toma consciência do facto de que não podemos usar e abusar do mundo e da matéria como de um simples objecto da nossa acção e da nossa vontade; que temos o dever de considerar a criação como um dom que nos foi confiado não para a destruição, mas para que se torne o jardim de Deus e assim um jardim do homem. Diante das múltiplas formas de abuso da terra que hoje vemos, ouvimos como que o gemido da criação, de que fala São Paulo (cf. Rm 8, 22); começamos a compreender as palavras do Apóstolo, ou seja, que a criação espera com impaciência a revelação dos filhos de Deus, para se tornar livre e alcançar o seu esplendor.
Queridos amigos, nós queremos ser estes filhos de Deus, que a criação espera, e podemos sê-lo porque no batismo o Senhor nos tornou assim. Sim, a criação e a história elas esperam por nós, contam com homens e mulheres que realmente sejam filhos de Deus e se comportem de modo consequente. Se contemplamos a história, vemos que em redor dos mosteiros a criação conseguiu prosperar, assim como com o despertar do Espírito de Deus nos corações dos homens voltou o fulgor do Espírito Criador também sobre a terra um esplendor que tinha sido ofuscado, e por vezes até quase extinto, pelas barbáries da avidez de poder. E a mesma coisa acontece de novo em redor de Francisco de Assis acontece em toda a parte onde às almas chega o Espírito de Deus, este Espírito que o nosso hino qualifica como luz, amor e força. Deste modo encontramos uma primeira resposta à pergunta sobre o que é o Espírito Santo, o que Ele põe em ação e como é que podemos reconhê-lo. Ele vem ao nosso encontro através da criação e da sua beleza. Todavia, ao longo da história dos homens, a boa criação de Deus foi coberta por um estrato maciço de escórias que torna, se não impossível, de qualquer maneira difícil reconhecer nela o reflexo do Criador embora diante de um pôr-do-sol no mar, durante uma excursão à montanha ou à vista de uma flor desabrochada desperte em nós, sempre de novo e como que espontaneamente, a consciência da existência do Criador.
Mas o Espírito Criador vem em nossa ajuda. Ele entrou na história e assim fala-nos de uma maneira nova. Em Jesus Cristo, o próprio Deus fez-se homem e permitiu-nos, por assim dizer, lançar um olhar na intimidade do próprio Deus. E ali vemos algo totalmente inesperado: em Deus existe um Eu e um Tu. O Deus misterioso não constitui uma solidão infinita; Ele é um acontecimento de amor. Se do olhar sobre a criação pensamos que podemos entrever o Espírito Criador, o próprio Deus, como que uma matemática criativa, como um poder que plasma as leis do mundo e a sua ordem e, em seguida, contudo, inclusive como beleza agora é-nos dado saber: o Espírito Criador tem um Coração. Ele é Amor. Existe o Filho que fala com o Pai. E ambos são um só no Espírito Santo que é, por assim dizer, a atmosfera do doar e do amar, que faz deles um único Deus. Esta unidade de amor, que é Deus, constitui uma unidade muito mais sublime de quanto poderia ser a unidade de uma última partícula indivisível. Precisamente o Deus trino é o Deus uno.
Por meio de Jesus nós lançamos, por assim dizer, um olhar sobre a intimidade de Deus. No seu Evangelho, João expressou-o assim: 'A Deus, jamais alguém O viu. O Filho unigénito, que é Deus e está no seio do Pai, foi Ele quem O deu a conhecer' (Jo 1, 18). Todavia, Jesus não nos deixou somente olhar na intimidade de Deus; com Ele, Deus também como que saiu da sua intimidade e veio ao nosso encontro. Isto acontece sobretudo na sua vida, paixão, morte e ressurreição; na sua palavra. Mas Jesus não se contenta com vir ao nosso encontro. Ele quer mais. Deseja a unificação. Este é o significado das imagens do banquete e das bodas. Nós não devemos somente conhecer algo dele, mas através dele mesmo temos o dever de ser atraídos a Deus. Por isso, Ele deve morrer e ressuscitar. Porque agora já não se encontra num determinado lugar, mas o seu Espírito, o Espírito Santo, já emana dele e entra nos nossos corações, unindo-nos deste modo com o próprio Jesus e com o Pai com o Deus Uno e Trino.
O Pentecostes é isto: Jesus, e através dele o próprio Deus, vem a nós e atrai-nos para dentro de si. 'Ele envia o Espírito Santo' assim se expressa a Escritura. Qual é o efeito disto? Em primeiro lugar, gostaria de relevar dois aspectos: o Espírito Santo, por meio de quem Deus vem a nós, dá-nos a vida e a liberdade. Observemos ambas um pouco mais de perto. 'Eu vim para que tenham vida, e a tenham em abundância', diz Jesus no Evangelho de João (10, 10). Todos nós aspiramos à vida e à liberdade. Mas de que se trata, onde e como é que encontramos a 'vida'?
Espontaneamente, penso que a esmagadora maioria dos homens tem o mesmo conceito de vida do filho pródigo, no Evangelho. Ele pediu a parte de património que lhe cabia, e agora sentia-se livre, queria finalmente viver já sem o peso dos afazeres de casa, queria simplesmente viver. Receber da vida tudo o que ela pode oferecer. Gozá-la plenamente viver, só viver, beber na abundância da vida e nada perder daquilo que de precioso ela pode oferecer. No final, acabou por se tornar guardião de porcos e chegou mesmo a invejar aqueles animais tão vazia se tinha tornado esta sua vida, tão inútil! E vã revelava-se inclusive a sua liberdade. Porventura não acontece também assim nos nossos dias?
Quando o homem quer somente apoderar-se da vida, ela torna-se cada vez mais vazia, mais pobre; termina-se facilmente por se refugiar na droga, na grande ilusão. E emerge a dúvida se, no final de contas, viver é verdadeiramente um bem. Não, deste modo nós não encontramos a vida. A palavra de Jesus sobre a vida em abundância encontra-se no discurso do Bom Pastor. É uma palavra que se põe num duplo contexto. Sobre o pastor, Jesus diz-nos que ele entrega a sua vida. "Ninguém tira a minha vida, mas sou Eu que a ofereço livremente" (cf. Jo 10, 18). A vida só se encontra, quando é doada; ela não pode ser encontrada, desejando tomar posse dela. É isto que devemos aprender de Cristo; é isto que nos ensina o Espírito Santo, que é puro dom, que é o doar-se de Deus. Quanto mais alguém entrega a sua vida pelos outros, pelo próprio bem, tanto mais copiosamente corre o rio da vida. Em segundo lugar, o Senhor diz-nos que a vida desabrocha, quando caminhamos em companhia do Pastor, que conhece as pastagens os lugares onde brotam as nascentes da vida. Encontramos a vida na comunhão com Aquele que é a vida em pessoa na comunhão com o Deus vivo, uma comunhão em que somos introduzidos pelo Espírito Santo, denominado no hino das Vésperas como 'fons vivus', fonte viva. A pastagem, onde correm as fontes da vida, é a Palavra de Deus como a encontramos na Escritura, na fé da Igreja. A pastagem é o próprio Deus que, na comunhão da fé, aprendemos a conhecer através do poder do Espírito Santo.
Estimados amigos, os Movimentos nasceram precisamente da sede da vida verdadeira; são Movimentos pela vida sob todos os aspectos. Onde já não corre a verdadeira fonte da vida, onde o homem somente se apodera da vida em vez de a entregar, ali está em perigo também a vida dos outros; ali está-se disposto a excluir a vida inerme nascitura, porque ela parece tirar espaço à própria vida. Se quisermos proteger a vida, então temos que voltar a encontrar sobretudo o manancial da vida; deste modo, a própria vida deve ressurgir em toda a sua beleza e sublimidade; então temos o dever de nos deixarmos vivificar pelo Espírito Santo, a fonte criativa da vida.
O tema da liberdade já foi mencionado há pouco. Com a partida do filho pródigo estão vinculados precisamente os temas da vida e da liberdade. Ele deseja a vida e por isso quer ser totalmente livre. Nesta visão, ser livre significa poder fazer tudo o que desejo; não ter que aceitar qualquer critério fora e acima de mim mesmo. Seguir exclusivamente o meu desejo e a minha vontade. Quem vive assim, embater-se-á depressa com o outro que quer viver desta mesma maneira. A consequência necessária deste conceito egoísta de liberdade é a violência, a destruição recíproca da liberdade e da vida. Ao contrário, a Sagrada Escritura une o conceito de liberdade ao de progenitura. São Paulo diz: 'Vós não recebestes um Espírito que vos escraviza e volta a encher-vos de medo; mas recebestes um Espírito que faz de vós filhos adotivos. É por Ele que clamamos: Abbá, ó Pai!' (Rm 8,15).
O que é que isto significa? São Paulo pressupõe nisto o sistema social do mundo antigo, em que existiam os escravos, aos quais nada pertencia e que por isso não podiam interessar-se por um recto desenvolvimento dos acontecimentos. Correspondentemente havia os filhos, que eram também os herdeiros e que por este motivo se preocupavam com a conservação e a boa administração da sua propriedade ou com a preservação do Estado. Dado que eram livres, tinham também uma responsabilidade. Prescindindo do contexto sociológico daquela época, é válido sempre este princípio: a liberdade e a responsabilidade caminham juntas. A verdadeira liberdade demonstra-se na responsabilidade, num modo de agir que assume sobre si a co-responsabilidade pelo mundo, por si mesmo e pelos outros. Livre é o filho, a quem pertencem as coisas e que por isso não permite que as mesmas sejam destruídas. Todas as responsabilidades mundanas, de que falamos, são contudo responsabilidades parciais, por um determinado âmbito, por um certo Estado, etc. O Espírito Santo, pelo contrário, torna-nos filhos e filhas de Deus. Ele compromete-nos nesta mesma responsabilidade de Deus pelo seu mundo, pela humanidade inteira. Ensina-nos a contemplar o mundo, o próximo e nós mesmos com os olhos de Deus.
Nós realizamos o bem não como escravos, que não são livres de agir de outra forma, mas fazemo-lo porque temos pessoalmente a responsabilidade pelo mundo; porque amamos a verdade e o bem, porque amamos o próprio Deus e portanto também as suas criaturas. Esta é a liberdade verdadeira, para a qual o Espírito Santo nos quer conduzir. Os Movimentos eclesiais querem e devem ser escolas de liberdade, desta liberdade genuína. Ali queremos aprender esta verdadeira liberdade, e não aquela dos escravos, que visa cortar para si mesma uma fatia do bolo de todos, mesmo que venha a faltar aos demais. Nós desejamos a liberdade verdadeira e grande, a dos herdeiros, a liberdade dos filhos de Deus. Neste mundo, tão repleto de liberdades simuladas que aniquilam o meio ambiente e o homem, queremos com a força do Espírito Santo aprender em conjunto a liberdade autêntica; construir escolas de liberdade; demonstrar aos outros, com a vida, que somos livres e como é bonito ser verdadeiramente livres na autêntica liberdade dos filhos de Deus.
Ao doar a vida e a liberdade, o Espírito Santo oferece também a unidade. Trata-se de três dons inseparáveis entre si. Já falei demasiado; no entanto, permiti-me dizer ainda uma breve palavra sobre a unidade. Para a compreender, pode ser-nos útil uma frase que, num primeiro momento, parece contrariamente afastar-nos dela. A Nicodemos que, na sua busca da verdade, vai de noite ter com Jesus com as suas interrogações, Ele responde: 'O Espírito sopra onde quer' (Jo 3, 8).
Mas a vontade do Espírito não é arbítrio. É a vontade da verdade e do bem. Por isso, Ele não sopra em toda a parte, virando uma vez aqui e a outra ali; o seu sopro não nos dispersa, mas reúne-nos, porque a verdade une como o amor une.
O Espírito Santo é o Espírito de Jesus Cristo, o Espírito que une o Pai ao Filho no Amor que, no único Deus, doa e recebe. Ele une-nos de tal modo, que certa vez São Paulo pôde dizer: "Todos vós sois um só em Cristo Jesus" (Gl 3, 28). Com o seu sopro, o Espírito Santo impele-nos rumo a Cristo. O Espírito Santo age corporalmente, e não apenas sob os pontos de vista subjectivo, 'espiritual'. Aos discípulos que O consideravam somente um "espírito", Cristo ressuscitado disse: 'Sou Eu mesmo! Tocai-me e olhai; um simples espírito um fantasma não tem carne nem ossos, como verificais que Eu tenho' (cf. Lc 24, 39). Isto é válido para Cristo ressuscitado, em todas as épocas da história. Cristo ressuscitado não é um fantasma, não é somente um pensamento, uma ideia. Ele permaneceu o Encarnado ressuscitou Aquele que assumiu a nossa carne e continua sempre a edificar o seu Corpo, fazendo de nós o seu Corpo. O Espírito sopra onde quer, e a sua vontade é a unidade que se faz corpo, a unidade que encontra o mundo e o transforma.
Na Carta aos Efésios, São Paulo diz-nos que este Corpo de Cristo, que é a Igreja, contém junturas (cf. 4, 16), e chega a enumerá-las: são os Apóstolos, os Profetas, os Evangelistas, os Pastores e os Mestres (cf. 4, 11). Nos seus dons o Espírito é multiforme, como podemos ver aqui.
Se consideramos a história, se olhamos esta assembleia aqui na Praça de São Pedro então compreendemos como Ele suscita sempre novas dádivas; observamos como são diferentes os órgãos que Ele cria; e como, sempre de novo, age corporalmente. No entanto, nele a multiplicidade e a unidade caminham juntas. Ele sopra onde quer. E fá-lo de maneira inesperada, em lugares imprevistos e de maneiras precedentemente inimagináveis. E com que multiformidade e corporeidade o faz! É também precisamente aqui que a multiplicidade e a unidade são inseparáveis entre si. Ele quer a vossa multiformidade, e deseja que sejais o seu único corpo, na união com as ordens duradouras as junturas da Igreja, com os sucessores dos Apóstolos e com o Sucessor de São Pedro.
Ele não nos poupa o cansaço de aprender o modo de nos relacionarmos uns com os outros; mas demonstra-nos também que age em vista do único corpo e na unidade do único corpo. É exclusiva e precisamente assim que a unidade alcança a sua força e a sua beleza. Participai na edificação do único corpo! Os pastores estarão atentos a não apagar o Espírito (cf. 1 Ts 5, 19), e vós não cessareis de oferecer as vossas dádivas à comunidade inteira. Uma vez mais: o Espírito sopra onde quer. No entanto, a sua vontade é a unidade. Ele conduz-nos rumo a Cristo, no seu Corpo. "É a partir dele [de Cristo] diz-nos São Paulo que o Corpo inteiro, bem ajustado e unido, por meio de toda a espécie de junturas que O sustentam, segundo uma força à medida de cada uma das partes, realiza o seu crescimento como Corpo, para se construir a si próprio no amor" (Ef 4, 16).
O Espírito Santo deseja a unidade, quer a totalidade. Por este motivo, a sua presença demonstra-se finalmente também no impulso missionário. Quem encontrou algo de verdadeiro, de belo e de bom na sua própria vida o único tesouro autêntico, a pérola inestimável! corre para o compartilhar em toda a parte, na família e no trabalho, em todos os âmbitos da sua existência. E fá-lo sem qualquer temor, porque sabe que recebeu a adoção de filho; sem qualquer presunção, porque tudo é dádiva; e sem desânimo, porque o Espírito de Deus precede a sua acção no "coração" dos homens e como semente nas mais diversificadas culturas e religiões. Fá-lo sem fronteiras, porque é portador de uma boa notícia destinada a todos os homens e a todos os povos.
Estimados amigos, peço-vos que sejais ainda mais, muito mais, colaboradores no ministério apostólico universal do Papa, abrindo as portas a Cristo. Este é o melhor serviço da Igreja aos homens e, de maneira totalmente particular, aos pobres, a fim de que a vida da pessoa, uma ordem mais justa na sociedade e a convivência pacífica entre as nações encontrem em Cristo a 'pedra angular' sobre a qual construir a autêntica civilização, a civilização do amor. O Espírito Santo oferece aos fiéis uma visão superior do mundo, da vida e da história, fazendo deles guardiães da esperança que não engana.
Portanto oremos ao Deus Pai, por meio de nosso Senhor Jesus Cristo, na graça do Espírito Santo, a fim de que a celebração da Solenidade do Pentecostes seja como um fogo ardente e um vento impetuoso para a vida cristã e para a missão de toda a Igreja. Deposito as intenções dos vossos Movimentos e das vossas Comunidades no Coração da Santíssima Virgem Maria, presente no Cenáculo juntamente com os Apóstolos; que Ela suplique a realização concreta das mesmas. Sobre todos vós, invoco a efusão dos dons do Espírito, a fim de que nesta nossa época consiga realizar-se a experiência de um renovado Pentecostes. Amém!"

AstrologiaLua Cheia (Clique para ver +) Tempo ecorrido : 12 ano(s) 9 dia(s) 30/11 Pesquise 30 de Novembro /2007 Pesquise o ano de 2007 Documentos religiosos   Religião   Vaticano   Papa Bento XVI publica a a encíclica Spe salvi (Salvos pela Esperança)
AstrologiaLua Minguante (Clique para ver +) Tempo ecorrido : 12 ano(s) 6 dia(s) 03/12 Pesquise 03 de Dezembro /2007 Pesquise o ano de 2007 Documentos religiosos   Religião   Vaticano   Nota doutrinal sobre alguns aspectos da evangelização
AstrologiaLua Crescente (Clique para ver +) Tempo ecorrido : 11 ano(s) 1 dia(s) 08/12 Pesquise 08 de Dezembro /2008 Pesquise o ano de 2008 Documentos religiosos   Religião   Vaticano   Instrução Dignitas Personae sobre algumas questões de bioética
AstrologiaLua Cheia (Clique para ver +) Tempo ecorrido : 10 ano(s) 5 mes(es) 2 dia(s) 07/07 Pesquise 07 de Julho /2009 Pesquise o ano de 2009 Documentos religiosos   Religião   Vaticano   Divulgada a encíclica Caritas in veritate + 303 eventos de Papa Bento XVI (Joseph Ratzinger) + 303 eventos de Papa Bento XVI (Joseph Ratzinger)
AstrologiaLua Cheia (Clique para ver +) Tempo ecorrido : 10 ano(s) 1 mes(es) 5 dia(s) 04/11 Pesquise 04 de Novembro /2009 Pesquise o ano de 2009 Documentos religiosos   Religião   Vaticano   Normas Complementares à Constituição Apostólica Anglicanorum coetibus
AstrologiaLua Crescente (Clique para ver +) Tempo ecorrido : 8 ano(s) 10 mes(es) 24 dia(s) 15/01 Pesquise 15 de Janeiro /2011 Pesquise o ano de 2011 Documentos religiosos   Religião   Vaticano   Decreto de Erecção do Ordinariado Pessoal de Nossa Senhora de Walsingham
AstrologiaLua Crescente (Clique para ver +) Tempo ecorrido : 7 ano(s) 11 mes(es) 8 dia(s) 01/01 Pesquise 01 de Janeiro /2012 Pesquise o ano de 2012 Documentos religiosos   Religião   Vaticano   Decreto de ereção do Ordinariado Pessoal da Cátedra de São Pedro
AstrologiaLua Minguante (Clique para ver +) Tempo ecorrido : 6 ano(s) 5 mes(es) 4 dia(s) 05/07 Pesquise 05 de Julho /2013 Pesquise o ano de 2013 Documentos religiosos   Religião   Vaticano   Publicação da Encíclica 'Lumen fidei' (escrita pelos Papas Francisco e Bento XVI)
AstrologiaLua Nova (Clique para ver +) Tempo ecorrido : 4 ano(s) 5 mes(es) 21 dia(s) 18/06 Pesquise 18 de Junho /2015 Pesquise o ano de 2015 Documentos religiosos   Religião   Vaticano   Papa Francisco publica a encíclica Laudato Si’ sobre o meio ambiente + 640 eventos de Jorge Mario Bergoglio (Papa Francisco) + 640 eventos de Jorge Mario Bergoglio (Papa Francisco)
 "Lanço um convite urgente a renovar o diálogo sobre a maneira como estamos a construir o futuro do planeta. Precisamos de um debate que nos una a todos, porque o desafio ambiental, que vivemos, e as suas raízes humanas dizem respeito e têm impacto sobre todos nós. O movimento ecológico mundial já percorreu um longo e rico caminho, tendo gerado numerosas agregações de cidadãos que ajudaram na consciencialização. Infelizmente, muitos esforços na busca de soluções concretas para a crise ambiental acabam, com frequência, frustrados não só pela recusa dos poderosos, mas também pelo desinteresse dos outros. As atitudes que dificultam os caminhos de solução, mesmo entre os crentes, vão da negação do problema à indiferença, à resignação acomodada ou à confiança cega nas soluções técnicas. Precisamos de nova solidariedade universal. Como disseram os bispos da África do Sul, «são necessários os talentos e o envolvimento de todos para reparar o dano causado pelos humanos sobre a criação de Deus». Todos podemos colaborar, como instrumentos de Deus, no cuidado da criação, cada um a partir da sua cultura, experiência, iniciativas e capacidades.
Espero que esta carta encíclica, que se insere no magistério social da Igreja, nos ajude a reconhecer a grandeza, a urgência e a beleza do desafio que temos pela frente. Em primeiro lugar, farei uma breve resenha dos vários aspectos da actual crise ecológica, com o objectivo de assumir os melhores frutos da pesquisa científica actualmente disponível, deixar-se tocar por ela em profundidade e dar uma base concreta ao percurso ético e espiritual seguido. A partir desta panorâmica, retomarei algumas argumentações que derivam da tradição judaico-cristã, a fim de dar maior coerência ao nosso compromisso com o meio ambiente. Depois procurarei chegar às raízes da situação actual, de modo a individuar não apenas os seus sintomas, mas também as causas mais profundas. Poderemos assim propor uma ecologia que, nas suas várias dimensões, integre o lugar específico que o ser humano ocupa neste mundo e as suas relações com a realidade que o rodeia. À luz desta reflexão, quereria dar mais um passo, verificando algumas das grandes linhas de diálogo e de acção que envolvem seja cada um de nós seja a política internacional. Finalmente, convencido – como estou – de que toda a mudança tem necessidade de motivações e dum caminho educativo, proporei algumas linhas de maturação humana inspiradas no tesouro da experiência espiritual cristã."

AstrologiaLua Cheia (Clique para ver +) Tempo ecorrido : 2 ano(s) 4 mes(es) 28 dia(s) 11/07 Pesquise 11 de Julho /2017 Pesquise o ano de 2017 Documentos religiosos   Religião   Vaticano   Carta Apostólica 'Maiorem Hac Dilectionem' inclui a oferta de vida no processo de beatificação + 640 eventos de Jorge Mario Bergoglio (Papa Francisco) + 640 eventos de Jorge Mario Bergoglio (Papa Francisco)
 "L’offerta della vita è una nuova fattispecie dell’iter di beatificazione e canonizzazione, distinta dalle fattispecie sul martirio e sull’eroicità delle virtù."

Páginas 32 de 33 « < 24 25 26 27 28 29 30 31 [32] 33 >

1999-2019 Ponteiro® - Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução total ou parcial desta e de outras páginas. Os dados apresentados podem sofrer alterações sem qualquer aviso prévio. Apesar do zelo na coleta e manuseio de dados, o Ponteiro não se responsabiliza por eventuais imprecisões. Não apoiamos nenhum partido político. Política de privacidade: não coletamos ou divulgamos qualquer informação pessoal. Conteúdo isento de pornografia e outras bobagens, navegue sossegado e sem sustos :)
Hospedagem Multihost Made in Brazil Seu IP : 3.215.182.36